Esses “clecls” podem ser atribuídos a diferentes fenômenos…

>Uma explicação é que quando uma articulação sai de sua posição normal (que pode ocorrer durante as atividades diárias, como levantar-se, ou nas atividades físicas), gases, primeiramente o nitrogênio, são deslocados e escapam do fluído sinovial (líquido lubrificante encontrado nas cavidades articulares), causando o som de estalo.

>Outra razão do barulho é proveniente do tendão movimentando-se através da junta ou de mudanças que já ocorreram na articulação, ou seja, inflamações pela degeneração da cartilagem articular = artrite degenerativa.

Entretanto é inoportuno tentar estalar as articulações. Essa prática tende a criar uma hipermobilidade e pode ocasionar uma instabilidade da articulação. Essa instabilidade pode causar um encurtamento e estreitamento na musculatura que envolve a articulação. Logo, toda vez que você pratica Yoga, você leva as articulações ao completo alcance do movimento e isso pode ajudar a prevenir artrites degenerativas.

Se o estalo é proveniente de uma artrite, continue prestando a atenção na região, e se os sintomas mudarem, se há dor associada com o barulho do estalo, siga as orientações de um profissional qualificado da área de saúde.

 

 

Anúncios
(function(g){if("undefined"!=typeof g.__ATA){g.__ATA.initAd({collapseEmpty:'after', sectionId:26942, width:300, height:250});}})(window);
var o = document.getElementById('crt-442465949'); if ("undefined"!=typeof Criteo) { var p = o.parentNode; p.style.setProperty('display', 'inline-block', 'important'); o.style.setProperty('display', 'block', 'important'); Criteo.DisplayAcceptableAdIfAdblocked({zoneid:388248,containerid:"crt-442465949",collapseContainerIfNotAdblocked:true,"callifnotadblocked": function () {var o = document.getElementById('crt-442465949'); o.style.setProperty('display','none','important');o.style.setProperty('visbility','hidden','important'); } }); } else { o.style.setProperty('display', 'none', 'important'); o.style.setProperty('visibility', 'hidden', 'important'); }
var o = document.getElementById('crt-551299090'); if ("undefined"!=typeof Criteo) { var p = o.parentNode; p.style.setProperty('display', 'inline-block', 'important'); o.style.setProperty('display', 'block', 'important'); Criteo.DisplayAcceptableAdIfAdblocked({zoneid:837497,containerid:"crt-551299090",collapseContainerIfNotAdblocked:true,"callifnotadblocked": function () {var o = document.getElementById('crt-551299090'); o.style.setProperty('display','none','important');o.style.setProperty('visbility','hidden','important'); } }); } else { o.style.setProperty('display', 'none', 'important'); o.style.setProperty('visibility', 'hidden', 'important'); }

COLUNA VERTEBRAL SAUDÁVEL

A coluna saudável é capaz de realizar diversos movimentos como: flexão, extensão, flexão lateral e rotação, mas quando os movimentos são inadequados e associados com a falta de consciência despudoradas geram efeitos prejudiciais e cumulativos na coluna. Os ossos e articulações começam a se degenerar e os músculos tornam-se fracos e perdem a flexibilidade.

O Método Pilates é altamente eficaz no alívio e na prevenção de muitos problemas de coluna vertebral e musculoesqueléticos, corrigindo os desalinhamentos do corpo. A prática regular dos exercícios aumenta a resistência dos músculos transverso do abdômen e multifidos lombares.  É possível estabilizar a coluna e a cintura pélvica o que irá refletir em todas as atividades da vida diária, seja nas posições estáticas e dinâmicas de baixo impacto (sentar) ou atividades que exijam habilidades (correr). O Pilates tem a capacidade de oferecer fortalecimento, alongamento e equilíbrio corporal, proporcionando melhor alinhamento vertebral, reduzindo as tensões musculares e compressões discais devido a maior flexibilidade adquirida pelo corpo.

 

Fonte: ABP – Associação Brasileira de Pilates

Blog no WordPress.com.